Os efeitos que percebi depois da segunda e da terceira quimioterapia foram um pouco diferentes do que eu senti na primeira. Nao tive mais insônia nem nada (graças a nossa senhora da água de ameixa!). Continuei sem náusea, enjôo e outros sintomas típicos… O que senti foram três coisas muito especificas:
1) Mal estar, normal, acho que todo mundo sentiria
2) Gosto estranho na boca, até aí normal, só que eu senti um gosto doce, o que já nao sei se é tão comum. E aí tudo ficava doce. O que parece bom, mas na verdade nao e muito nao. Tipo, bolo doce? Delicinha! Água no meio da noite doce? Meio estranho. Bife com arroz doce? Urgh blarg ergh yerrgh!!!!
3) Sensação estranha no estômago. Nao é enjôo, nao perdi meu apetite, nao quero vomitar. É so uma sensação esquisita. Sabe quando os gatos, do nada, dão uma engasgada e quando você vê eles cuspiram, ou vomitaram, sei lá, uma mega bola de pelo? Pois é. A minha sensação é que tem uma mega bola de pelo dentro do meu estômago. As vezes ela da um passeio até a garganta, mas nao como se fosse vomitar nao, so da uma passeada. Aí volta de novo pro estômago.
A boa noticia, o spa aí em cima é fichinha perto do que eu podia estar passando, e so dura quatro dias. É pouquíssimo tempo. Eu posso fazer qualquer coisa por quatro dias. E aí passa e eu fico normal. Bom, não sei bem o que é normal. Aí eu fico eu. Saio, como, danço, bebo e vivo uma vida completamente normal.
O psicológico fica afetado as vezes, mas bem conforme os textos que eu escrevo aqui, eu tento ficar positiva. Sei que vai ficar tudo bem, principalmente agora que já tenho provas concretas de que o tratamento esta funcionando, mas as vezes o meu mau humor faz eu me perguntar o porque de eu precisar de tratamento. O porque de isto estar acontecendo comigo. Nunca fiz mal para ninguém, pelo menos não intencionalmente. Então por que? Justo eu… Será que existe carma? Ou então o universo está tentando testar a minha paciência? E é com esse tipo de pensamento que um dia que eu chamo de “azedo” se preenche. Mas eu faço de tudo pra que estes dias sejam raros. Eles não vão me ajudar, mudar a situação, fazer ninguém se sentir melhor. Reclamar faz parte, e é até bem gostoso de vez em quando, mas limito ao máximo.
A minha vida esta meio que entrando numa rotina agora. Até um remoinho atras eu pensava sobre câncer o dia inteiro. Não esquecia em nenhum momento da minha vida o que eu tava passando. Não deixava de fazer nada por causa disso, nem me afetar negativamente, mas era sempre uma presença na minha cabeça. Agora não mais. Parece que eu finalmente digeri a situação. Ainda tem momentos que eu paro e penso: “Como assim eu estou com câncer???” É meio bizarro, não me sinto doente, me sinto normal. Estou normal. Quem convive no dia a dia comigo deve pensar a mesma coisa. Acho que o que eu quero dizer é que a coisa parece muito pior e mais assustadora do que ela realmente é, pelo menos no meu caso, e pelo menos por enquanto.
Quinta feira que vem é a minha quarta quimio, e a ultima vermelha, que é a do remédio mais forte. Estou muito, muito feliz que essa pior parte está prestes a acabar. E mais feliz ainda de ter percebido como tenho pessoas maravilhosas na minha vida. Cada um está presente da maneira que pode e que consegue, e todo mundo contribui pra que eu esteja assim, tão bem. Obrigada a quem lê aqui, obrigada a quem manda energias, reza e pergunta como estou, obrigada a quem me manda mensagens no Facebook e principalmente obrigada a quem agüenta os meus dias “azedos”, e está do meu lado pra comemorar todos os dias.
Anúncios